Os jovens e a Igreja

Existe uma crise atualmente rondando a Igreja evangélica brasileira e mundial, principalmente quando falamos dos jovens. 

E os comentários que ouvimos é que os jovens só gostam de ‘’oba oba’’ e não gostam de evangelizar.

Somos levados a pensar que o momento da igreja brasileira em sua geração é por demais delicado e isso porque, vemos as igrejas locais procurando ansiosamente meios de crescimento numérico.

Muitas delas, sinceramente, buscando cumprir o mandato de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas que em sua caminhada, tem abandonado princípios inegociáveis da Escritura Sagrada.

Resultando em uma situação de “stress” espiritual para a comunidade, a diluição da fé e o enfraquecimento qualitativo e orgânico dos crentes.

Vejamos como podemos mudar essa situação tão lamentável agora:

O QUE OS JOVENS TEM BUSCADO?

Jovens

Qual a verdadeira motivação dos líderes das igrejas locais na busca ansiosa de um crescimento na igreja?  Estamos observando um crescimento equilibrado nas igrejas locais? 

Qual o estilo de vida que Deus tem requerido de sua igreja na missão?  Até que ponto podemos dizer que há um verdadeiro crescimento em nossas igrejas locais?

Veja o artigo: “Desafios do jovem cristão no tempo atual”

Atualmente, a Igreja Brasileira está sofrendo, porque não acata o Discipulado como o verdadeiro estilo de vida cristão

Os crentes não são desafiados a fazer discípulos, e por assim dizer estão tranquilos com respeito à sua maneira de ser.

Necessitamos definir Discipulado, que é a ação de uma pessoa respondendo ao chamado do Mestre e cuja sua vida inteira é reformulada no sentido da obediência.

No aspecto espiritual, Jesus chamava seus discípulos com autoridade divina, como os próprios profetas eram chamados por Deus no Velho Testamento.

É aquela pessoa que ouve o chamado do Mestre e se junta a ele.  É um aprendiz.

RELACIONAMENTO ENTRE JOVEM E IGREJA

Escola Bíblica

O relacionamento entre o aluno e o professor tornava-se uma instituição para o estudo detalhado.

Os discípulos conviviam com o mestre, recebendo conhecimento e especialmente no Discipulado de Jesus, estaria disposto a servir.

Chegamos à conclusão que os jovens discipulados tem a ver com o próprio fato de ser da igreja de Nosso Senhor.

Se analisamos a situação, definimos tal ação como a que o Mestre se propôs em seu ministério:

Veja o artigo: “5 principais passos para o jovem cristão vencer na vida”

Discipular homens, para que os mesmos pudessem, ao final de Sua jornada aqui, fazer com que Seus ensinos e mandamentos fossem sabiamente repassados na perspectiva da obediência, tornando os discípulos seus “seguidores”.

Contudo, este “seguir” jamais viria sem um compromisso de vida, de dedicação, de amor e de entrega de vida plena ao Mestre. 

Conjugado a isto, o Mestre seria o alvo maior, como exemplo e modelo a ser imitado. 

Os jovens e a Igreja em geral têm a missão de tomar novos convertidos, educá-los e levá-los a um estado de maturidade e adulta comunhão com Cristo e de serviço eficiente na Igreja”. 

E continua: “fazer discípulo de uma pessoa é levá-la a experiência de ter Jesus como Senhor e Centro de sua vida. 

Um homem é discípulo de Cristo, quando permanece em sua palavra, glorifica ao Pai e dá frutos.

‘’Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos’’. João 8:31

‘’Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim’’. João 15:18

CRENTES MADUROS

Indeciso

Sem dúvida, a experiência de ser encontrado por Cristo através da fé é condição ímpar para que o jovem se inicie na vida. 

É no relacionamento pessoal e social que se descobre o verdadeiro valor do Discipulado.

Se não há relacionamento interpessoal, então é impossível a realidade do Discipulado de Cristo. 

Larry Richards, em seu livro Teologia do ministério pessoal comenta que “o Discipulado envolve a reformulação da vida do cristão em direção à obediência, a fim de que possa tornar-se como Jesus” e continua:

“A missão da igreja não é simplesmente conseguir conversões mas completar o processo da vida cristã fazendo discípulos”.

O grande desafio da igreja é ainda hoje, o moldar vidas segundo o caráter de Jesus Cristo.

Ao analisarmos todos os pontos essenciais da vida de Cristo, somos inarredavelmente levados a procurar reavaliar a vida cristã e sobretudo através de uma autocrítica, desafiados a tornar nossas comunidades, igrejas de disciplinadores.

Carecemos de pessoas fiéis e idôneas, que possam transmitir a outras este caráter de Cristo, não apenas pela verbalização, mas também com a vida.

A igreja necessita de um arrependimento verdadeiro e mudança de vida. Deve tornar a vida mais simples e menos rebuscada, mais cheia de frutos de vida e menos ativista, mais cristã e menos institucionalizada.

Se acreditarmos no Discipulado, seremos os primeiros a mudar, e se isto acontecer de fato, cumpriremos cabalmente a Grande Comissão não como um programa a mais, mas como um estilo de vida, para a Glória e Honra de Nosso Senhor Jesus Cristo.

CONCLUSÃO

Jovem, continue o trabalho de evangelização sem cessar, ore ao Senhor para que Ele te de sabedoria, discernimento e audácia para a proclamação do evangelho.

Pense nisso e siga em frente!

Se você gostou deste artigo, curta ou compartilhe no facebook, clique aqui embaixo e deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.