O louvor na Igreja hoje

louvor

Fomos criados para o louvor e glória do Pai celeste. A Bíblia nos ensina isto com clareza. Escrevendo aos efésios, Paulo declara que Deus nos destinou de antemão para sermos filhos de adoção “para louvor e glória de sua graça” (Ef.1:5,6).

O apóstolo Pedro diz em sua primeira carta que somos povo adquirido, “para anunciar as grandezas daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (I Pe. 2:9).

Em outras palavras, a Bíblia diz que existimos para louvar a Deus. Tudo o que fazemos deve glorificar ao Senhor (I Co. 10:31). O livro de Salmos contém numerosas menções de uma vida de contínuo louvor, que deve ser praticada por cada cristão.

Jesus Cristo disse que Deus Pai procura adoradores que o adoram em espírito e em verdade (Jo.4:23,24). Há algo grandioso no louvor e adoração; é que além de provarmos da intimidade com Deus, estamos cumprindo o propósito da nossa existência.

Vejamos alguns aspectos para o nosso estudo de hoje:

NÍVEIS DO LOUVOR

louvor

Do ponto de vista da vida da igreja, o louvor e a adoração tem três níveis de expressão: pessoal, na célula e no culto. É importante destacar estes diferentes níveis porque tem diferentes princípios.

Em casa, a sós com Deus, alguém pode até rolar pelo chão por estar sozinho; já num culto público não deverá fazê-lo, pois a Bíblia nos manda proceder com sabedoria para com os que são de fora e não os escandalizar (Cl. 4:5).

Veja o artigo: “Posso tocar no meio secular? – músico cristão pode tocar no mundo?”

No culto, com toda igreja reunida temos os músicos (cantores e instrumentistas) que proporcionam uma beleza e qualidade técnica melhor do que numa célula onde talvez não haja músico algum.

Nas casas, seja no louvor pessoal ou da célula, não primamos pela técnica, mas sim pela sinceridade e liberdade; já no culto público a técnica se torna um requisito para que alguém componha a equipe de instrumentalistas e vocalistas, além, é lógico, da unção do Espírito.

NÍVEL PRÁTICO

louvor

Seguimos o ensino bíblico nas nossas práticas, louvando ao Senhor com diversas expressões (físicas e espirituais):

Cânticos:

‘’Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome; anunciai a sua salvação de dia em dia.’’ Salmos 96:2

‘’Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração.’’ Efésios 5:19

‘’Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.’’ 1 Coríntios 14:15

‘’Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.’’ Tiago 5:13

Mãos Levantadas:

‘’Assim eu te bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos.’’ Salmos 63:4

‘’A minha vista desmaia por causa da aflição. Senhor, tenho clamado a ti todo o dia, tenho estendido para ti as minhas mãos.’’ Salmos 88:9

‘’Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o sacrifício da tarde.’’ Salmos 141:2

Veja o artigo: “O Rock é do diabo? / porque dizem que rock é do diabo?”

‘’Estendo para ti as minhas mãos; a minha alma tem sede de ti, como terra sedenta.’’ Salmos 143:6

Palmas:

’Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de triunfo.’’ Salmos 47:1

Danças:

‘’E Davi saltava com todas as suas forças diante do Senhor; e estava Davi cingido de um éfode de linho.’’ 2 Samuel 6:14

‘’Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos.’’ Salmos 150:4

Vivas de Júbilo:

‘’Bem-aventurado o povo que conhece o som alegre; andará, ó Senhor, na luz da tua face.’’ Salmos 89:15

‘’Celebrai com júbilo a Deus, todas as terras.’’ Salmos 66:1

‘’Exultai no Senhor toda a terra; exclamai e alegrai-vos de prazer, e cantai louvores.’’ Salmos 98:4 (aclamar = aplaudir ou aprovar por meio de brados)

Instrumentos musicais diversos:

‘’Louvai ao SENHOR. Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder.

Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza.

Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa.

Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos.

Louvai-o com os címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes.

Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor.’’ Salmos 150:1-6

Prostrar-se:

‘’E os levitas, que eram cantores, todos eles, de Asafe, de Hemã, de Jedutum, de seus filhos e de seus irmãos, vestidos de linho fino, com címbalos, com saltérios e com harpas, estavam em pé para o oriente do altar; e com eles até cento e vinte sacerdotes, que tocavam as trombetas).’’ 2 Crônicas 5:12

‘’E os sacerdotes, serviam em seus ofícios; como também os levitas com os instrumentos musicais do Senhor, que o rei Davi tinha feito, para louvarem ao Senhor, porque a sua benignidade dura para sempre, quando Davi o louvava pelo ministério deles; e os sacerdotes tocavam as trombetas diante deles, e todo o Israel estava em pé.’’ 2 Crônicas 7:6

OS CÂNTICOS

louvor

Só adotamos o uso de cânticos que realmente estejam em harmonia com a Palavra de Deus e que possam ser facilmente aprendidos e cantados pela congregação.

Fora estes, damos lugar também aos cânticos espontâneos e pelo Espírito Santo no momento da adoração, que entendemos ser o que a Bíblia denomina de “cânticos espirituais”.

Cânticos Espirituais

Ao usar o termo cântico espiritual, a Bíblia não quer dizer que outros cânticos como salmos e hinos não sejam espirituais, mas que há uma manifestação espiritual mais intensa neste tipo de cântico.

Um hino pode ser cantado para Deus com a mente, por ser lido, e isto também faz parte do louvor a Deus; Paulo disse: “…cantarei com o espírito, mas também cantarei com a mente” (I Co.14:15).

Porém, cantar com o espírito significa deixar nosso espírito sob a inspiração do Espírito Santo fluir em cântico espontâneos e não premeditados.

Veja o artigo: “Porque é tão difícil usar o cantor cristão ou hinário na igreja?”

Os cânticos espirituais podem se manifestar de duas formas:

Cântico ao Senhor – nós o louvamos, é dirigido a Deus.

Cântico do Senhor – profético, Deus falando com a Igreja. Assim como o falar em línguas, pode ser falado e/ou cantado, também a profecia pode ser falada ou cantada. I Crônicas 25:1 fala dos levitas “profetizando” com a música. Muitos salmos (cânticos) de Davi são proféticos.

Devemos praticar o cântico espiritual ao Senhor mais na vida privada e diária de adoração, onde com toda liberdade e intimidade expressamos nosso amor e gratidão ao Senhor.

E visto que ele é unicamente dirigido a Deus, é desnecessário praticá-lo em público, a menos que seja entre nós mesmos e Deus; num culto público, a igreja toda pode ter um período de cânticos espirituais onde cada um entoa seu próprio cântico espontâneo ao Senhor.

Porém, a outra forma de cântico espiritual, que denominamos o cântico do Senhor, é dirigido aos irmãos para o ensino, consolação e admoestação deles (Cl.3:16); portanto deve ser praticado em público.

Contudo, como toda manifestação espiritual deve ser julgada (I Co.14:29), é necessário a concordância e consentimento do que está à frente da reunião; se for na célula, é o líder ou seu auxiliar que o substitui; se for em público, deve passar antes por um dos presbíteros.

A EQUIPE DE MÚSICOS

louvor

O ministério de louvor e adoração através da música, foi inserido na vida do templo através do rei Davi, que dividia os levitas músicos em equipes que obedeciam aos turnos e o louvor era praticado continuamente.

Com o tempo, Israel foi perdendo este modelo que o rei Davi instituiu, até quase se extinguir. Mas nos dias do Novo Testamento os apóstolos reconheceram que Deus haveria de restaurar o tabernáculo de Davi, que estava caído (At.15:15-18).

Portanto, entendemos que mesmo nestes nossos dias da Nova Aliança, os padrões estabelecidos por Davi para a equipe dos músicos devem ser resgatados e praticados.

Os critérios que Davi estabeleceu foram:

Perícia (I Cr.25:7) – cada um deve servir a Deus de acordo com os dons e talentos que o Senhor concede. Se a pessoa não for capacitada com talento musical deve se conscientizar que terá que servir ao Senhor em outra área.

O fato de ser um adorador ardente e bem motivado em servir ao Senhor na área da música não faz de ninguém uma pessoa capacitada; ela deve ter perícia ou não poderá permanecer na equipe. I Crônicas 16:41 mostra que havia escolha, seleção para os que comporiam este ministério.

Veja o artigo: “Temor a Deus a base para uma vida vitoriosa”

Ser constituído. (I Cr.15:16 e 16:41,42). Observe os termos “constituídos”, “designados” e “responsáveis”. Eles indicam que há autoridade e liderança neste ministério, e que os líderes deveriam reconhecer e confirmar os músicos (cantores e instrumentistas).

O ministério da música na igreja tem um líder sob toda a equipe, que por sua vez é acompanhado e liderado por um dos presbíteros. Tanto o líder como o pastor devem reconhecer e estabelecer (ou destituir) um músico na equipe.

A adoração na vida pública da Igreja deve ser uma extensão de uma vida pessoal de adoração e compromisso com Cristo na vida do músico.

Havendo qualquer fato ocorrido que comprometa o seu testemunho, o músico estará sujeito à disciplina, que pode variar de uma suspensão temporária a uma exclusão.

CONCLUSÃO

Sendo que grande parte do culto público destaca o ministério da música, espera-se que os membros desta equipe sejam exemplo para a igreja.

Pense nisso e siga em frente

Se você gostou deste artigo, curta ou compartilhe no facebook, clique aqui embaixo e deixe seu comentário

 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.