Ninguém é músico neste louvor! / reflexão para ministério de louvor

louvor

Quando um visitante vai em sua Igreja, ele vai com a intenção de ouvir um bom louvor.

Mas o que acontece quando o grupo de louvor não sabe cantar e nem tocar?

Esse tem sido um grande problema que as Igrejas têm enfrentado, muitos grupos de louvor sem preparação nenhuma para ministrar aquele momento de adoração através da música.

Vemos pessoas que não sabem cantar e muito menos tocar algum instrumento musical. O que podemos fazer então? 

Vejamos alguns aspectos sobre o assunto:

O LOUVOR NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTO

louvor

ANTIGO TESTAMENTO:

A música que agradava a Deus no Antigo Testamento envolvia o uso de vários instrumentos. Logo após a travessia do mar Vermelho, Miriã e as mulheres de Israel adoraram a Deus com cânticos acompanhados de danças e tamborins (Êxodo 15:20-21).

Os profetas dos tempos de Samuel usavam saltérios, tambores, flautas e harpas (1 Samuel 10:5). No período de Davi, Deus era adorado com cânticos acompanhados “com instrumentos músicos” (1 Crônicas 15:16, 28).

1 Crônicas 16 menciona o uso de alaúdes, harpas, címbalos, trombetas e instrumentos de música (1 Crônicas 16:5, 42).

Davi deu instruções específicas para o uso desses instrumentos (veja 1 Crônicas 23 e 25, em que a adoração é descrita detalhadamente).

Veja o artigo: “Posso tocar no meio secular? – músico cristão pode tocar no mundo?”

A adoração nos dias de Salomão era semelhante: “e quando todos os levitas que eram cantores, isto é, Asafe, Hemã, Jedutum e os filhos e irmãos deles, vestidos de linho fino, estavam de pé, para o oriente do altar, com címbalos, alaúdes e harpas, e com eles até cento e vinte sacerdotes, que tocavam as trombetas; e quando em uníssono, a um tempo, tocaram as trombetas.

E cantaram para se fazerem ouvir, para louvarem o Senhor e render-lhe graças; e quando levantaram eles a voz com trombetas, címbalos e outros instrumentos músicos para louvarem o Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre. 

Os sacerdotes que tocavam as trombetas estavam defronte deles, e todo o Israel e mantinha em pé” (2 Crônicas 5:12-13; 7:6). Clarins e trombetas acompanhavam os cânticos de louvor a Deus na época de Asa (2 Crônicas 15:14).

Veja o artigo: “O Rock é do diabo? / porque dizem que rock é do diabo?”

Atente para o fato de que nada disso era mera invenção humana; Deus tinha exigido esse tipo de adoração: “Também estabeleceu os levitas na Casa do Senhor com címbalos, alaúdes e harpas, segundo mandado de Davi e de Gade, o vidente do rei, e do profeta Natã; porque este mandado veio do Senhor, por intermédio de seus profetas” (2 Crônicas 29:25).

Após a volta do cativeiro, a adoração foi conduzida de modo semelhante: “Quando os edificadores lançaram os alicerces do templo do Senhor, apresentaram-se os sacerdotes, paramentados e com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com címbalos, para louvarem o Senhor, segundo as determinações de Davi, rei de Israel” (Esdras 3:10).

Na cerimônia da dedicação pelos muros de Jerusalém havia címbalos, alaúdes, harpas e trombetas (Neemias 12:27-36). Como disse Isaías: “O Senhor veio salvar-me; pelo que, tangendo os instrumentos de cordas, nós o louvaremos todos os dias de nossa vida, na Casa do Senhor” (Isaías 38:20).

Entoai-lhe novo cântico, tangei com arte e com júbilio” (Salmo 33:2-3). “Então, irei ao altar de Deus, de Deus, que é a minha grande alegria; ao som da harpa eu te louvarei, ó Deus, Deus meu” (Salmo 43:4). “Salmodiai e fazei soar tamboril, a suave harpa com o saltério.

Tocai a trombeta na Festa da Lua Nova, na lua cheia, dia da nossa festa. É preceito para Israel, é prescrição do Deus de Jacó” (Salmo 81:2-4).

Passagens semelhantes encontram-se espalhadas pelos Salmos. O salmo 92 menciona o uso de “instrumentos de dez cordas” junto com o saltério e a harpa (Salmo 92:1-3). “Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os confins da terra; aclamai, regozijai-vos e cantai louvores.

Veja o artigo: “Qual é o grande mal da humanidade?”

Cantai com harpa louvores ao Senhor, com harpa e voz de canto; com trombetas e ao som de buzinas, exultai perante o Senhor, que é rei” (Salmo 98:4-6).

As referências são bem frequentes e não dão margem para dúvida. “Louvai-o ao som da trombeta; louvai-o com saltério e com harpa.

NOVO TESTAMENTO:

A música no Novo Testamento apresenta um forte contraste com a do Antigo Testamento. Não se fazem referências ao uso da música instrumental na adoração do Novo Testamento!

Após ler tantos textos que mencionam o uso dos instrumentos musicais no Antigo Testamento, a diferença é marcante e importante.

Veja o artigo: “5 principais passos para o jovem cristão vencer na vida”

Observe os seguintes textos: “Por volta de meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam” (Atos 16:25). “Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com a mente; cantarei com o espírito, mas também cantarei com a mente” (1 Coríntios 14:15).

“Está alguém entre vós sofrendo? Faça oração. Está alguém alegre? Cante louvores” (Tiago 5:13). O louvor que oferecemos deve ser aquele em que aconselhamos e instruímos uns aos outros: “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” (Colossenses 3:16).

Veja o artigo: “Facebook: Maldição ou benção?”

Deve estar claro que nenhuma harpa nem flauta tem condições de instruir. “falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais” (Efésios 5:19).

Esse texto de Efésios é interessante porque especifica claramente qual instrumento deve ser usado: o coração. Jamais se menciona nenhum instrumento mecânico em relação à adoração de Deus no Novo Testamento.

O escritor de Hebreus resume: “Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome.” (Hebreus 13:15). O nosso sacrifício de louvor deve ser o “fruto dos lábios”.

Isso não significa que os instrumentos musicais não existissem no período do Novo Testamento. Aliás, eles são mencionados diversas vezes, ligados a acontecimentos sem relação com o culto (Mateus 9:23; 11:17; Lucas 15:25, etc.).

E QUANDO A IGREJA NÃO QUER INVESTIR

louvor

Você é de um ministério de louvor que nem o seu próprio líder e ninguém estuda música, e todos tocando e cantando só no “arroz e feijão”… sempre a mesma coisa passam vergonha no culto de tocarem errado e cantando desafinado…

Mais só você estuda música no meio deles, e não significa nada no meio de 22 pessoas.

É lógico que você não aguenta mais, já conversou várias vezes com a liderança e não adianta, o que fazer então?

Enquanto a adoração fala do que somos, o louvor fala do que fazemos. A adoração é gerada dentro do homem, onde só Deus pode ver.

Veja o artigo: “Posso entregar o dízimo em outra igreja que não seja a minha?”

O louvor inevitavelmente se exterioriza, onde os homens também podem ver. Como vimos até aqui, adoração significa reverência a Deus, através de uma vida de reconhecimento e amor. Não é possível adorar sem louvar, mas é possível louvar sem adorar.

Então não podemos louvar o Senhor relaxadamente, de qualquer forma, é preciso fazer com excelência porque a obra de Deus é feita com amor e dedicação. Veja o que diz a Palavra de Deus em Jeremias 48:10:

“Maldito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente”.

CONCLUSÃO

A música é a maneira que as pessoas se expressam por meio de som, produzindo tons numa ordem específica para apresentar uma obra de beleza e interesse. Sendo assim, faça esse meio de evangelização o melhor possível, porque a obra de Deus é magnífica.

Pense nisso e siga em frente

Se você gostou deste artigo, curta ou compartilhe no facebook, clique aqui embaixo e deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.